“What´s wrong with the world, mama?”

É simples…
Não espere de mim um sorriso verdadeiro quando as lagrimas querem cair..
Não espere que eu concorde com o que você acha, por apenas você achar….
Não espere que eu mude de opinião por você não gostar… ou mude o meu jeito por você não suportar…
Não espere que eu deixe de ser eu, por você me querer por perto, eu não vou mudar o meu mundo por você não se capaz de viver nele.”

O que te faz pensar que está certo sobre algo? Qual a extensão do teu mundo? Há fronteiras? Com quem ou com o quê? Qual a relação dessas fronteiras?

As linhas acima, fruto de uma conversa entre amigos, me incitaram a refletir sobre essa visão e o meu próprio jeito de ver o mundo a esse respeito.

Vamos lá, crianças. Aula de interpretação de textos, 😛

“Não espere de mim um sorriso verdadeiro quando as lagrimas querem cair..”

Naturalmente, ninguém está feliz o tempo todo (aula difícil de aprender… não raro nos deparamos com situações quase forçadas de querer que o outro esteja tão bem quanto estamos nós…) e é aí que vem a primeira lição: respeito ao momento do outro. Além disso, essa transparência de sentimentos faz parte das qualidades dele(a). Espere o sorriso se quiser enganar a si mesmo ou se não se importar com a falsidade que vem grátis no pacote.

“Não espere que eu concorde com o que você acha, por apenas você achar….”

Situação semelhante à anterior, só que dessa vez temos o respeito à opinião do outro. Caso igualmente complicado, ocorre conosco que no convívio social existem coisas muitas vezes intragáveis para mim ou para você as quais, no entanto, nos cabe respeitar. Felizmente, as variantes de pensamento podem (ou deveriam) coexistir sem grandes problemas.

“Não espere que eu mude de opinião por você não gostar…”

Justamente conforme previa o item acima, aqui está um exemplo quentinho, recém-saído do forno, sobre diversidade de ideias. Expondo meu ponto de vista, digo que podemos sim mudar de opinião, não exatamente pelo outro não “gostar” do que pensamos, mas por haver sentido na mudança. Por ser plausível. O tópico abaixo desenvolve o tema já que opinião e jeito estão interligados.

“…ou mude o meu jeito por você não suportar… Não espere que eu deixe de ser eu, por você me querer por perto” 

O jeito é um ponto mais sensível. Seja qual for o Status do Facebook que une você à pessoa X (ou mesmo a um dos seus 2743 amigos adicionados) fato é que conforme provam a história e as estatísticas, sempre vivemos em sociedade e assim continuaremos se quisermos permanecer aqui. Temos nossa identidade, aquelas coisas que nos identificam como seres únicos e originais, manias e preferências e nossa vivência de mundo. Agora vejamos… se há um “não suportar” por parte do outro, não poderia haver algo justificável nisso?… porque esse “jeito” nem sempre é o melhor, mesmo que seja SEU jeito… e o que caberia aí é darmos, a nós, a oportunidade de ver o que pode estar errado, e melhorar isso, e ao outro, a chance de nos fazer enxergar isso… e aprender com ele como modificá-lo positivamente.

O que acontece é que as pessoas já se armam com unhas e dentes, se ofendem e não entendem… confundem humildade com privação. Acham que dar vazão para mudanças é privar a si mesmas de sua liberdade, de serem como são, quando na realidade o processo é o inverso… Evidentemente que todo processo de câmbio exige esforço pessoal, uma luta interna contra nós mesmos, nosso ego e nossa vaidade.

“Eu não vou mudar o meu mundo por você não se capaz de viver nele.”

E você? É capaz de viver no mundo dos outros? Já parou para pensar como outras pessoas enxergam você entrando no mundo delas? Vale lembrar então que se você não for capaz de viver no mundo delas, pela mesma lógica, certamente você acabará sozinho. E já sabemos que sozinho não se vive.

Se entrarmos mais a fundo em relações mais íntimas, no âmbito familiar, um dia, cedo ou tarde, entenderemos que as transformações internas são parte integrante daquilo que chamamos de “amor” e têm papel fundamental na durabilidade e qualidade de nossas relações interpessoais.

PR

Pedidos

 

Você pediu forças… e Deus te deu dificuldades para te fazer forte.
Você pediu sabedoria… e Deus te deu problemas para resolver.
Você pediu prosperidade… e Deus te deu cérebro e músculos para trabalhar.
Você pediu coragem… e Deus te deu perigos para enfrentar.
Você pediu amor… e Deus te deu pessoas com problemas para ajudar.
Você pediu Favores… e Deus te deu Oportunidades.
Você não recebeu nada do que pediu… Mas você recebeu tudo de que
precisava.

Reglas Básicas de Convivencia

 

Llegaste? SALUDA… Te vas? DESPÍDETE… Encendiste? APAGA… Abriste? CIERRA… Rompiste? ARREGLA… Ensuciaste? LIMPIA… Mojaste? SECA… No sabes cómo funciona? NO TOQUES… No sabes hacerlo mejor? NO CRITIQUES… No viniste a ayudar? NO MOLESTES… Pediste prestado? DEVUELVE… No te pertenece? PIDE PERMISO… Hablaste? HAZTE RESPONSABLE… Prometiste? CUMPLE… Ofendiste? DISCÚLPATE… Compraste? PAGA… Amas? DILO… Te ayudaron? AGRADÉCELO… Te equivocaste? ADMÍTELO.

Las 4 leyes de la espiritualidad

 

“En la INDIA se enseñan las "Cuatro Leyes de la Espiritualidad"
La primera dic…e: "La persona que llega es la persona correcta", es decir que nadie llega a nuestras vidas por casualidad, todas las personas que nos rodean, que interactúan con nosotros, están allí por algo, para hacernos aprender y avanzar en cada situación.
La segunda ley dice: "Lo que sucede es la única cosa que podía haber sucedido". Nada, pero nada, absolutamente nada de lo que nos sucede en nuestras vidas podría haber sido de otra manera. Ni siquiera el detalle más insignificante. No existe el: "si hubiera hecho tal cosa hubiera sucedido tal otra…". No. Lo que pasó fue lo único que pudo haber pasado, y tuvo que haber sido así para que aprendamos esa lección y sigamos adelante. Todas y cada una de las situaciones que nos suceden en nuestras vidas son perfectas, aunque nuestra mente y nuestro ego se resistan y no quieran aceptarlo.
La tercera dice: "En cualquier momento que comience es el momento correcto". Todo comienza en el momento indicado, ni antes, ni después. Cuando estamos preparados para que algo nuevo empiece en nuestras vidas, es allí cuando comenzará.
Y la cuarta y última: "Cuando algo termina, termina". Simplemente así. Si algo terminó en nuestras vidas, es para nuestra evolución, por lo tanto es mejor dejarlo, seguir adelante y avanzar ya enriquecidos con esa experiencia.
Creo que no es casual que estén leyendo esto, si este texto llegó a nuestras vidas hoy; es porque estamos preparados para entender que ningún copo de nieve cae alguna vez en el lugar equivocado”.

Tá tudo certo…

 

“Nasceste no lar que precisavas,
Vestiste o corpo físico que merecias,
Moras onde melhor Deus te proporcionou,
De acordo com teu adiantamento.

Possuis os recursos financeiros coerentes com as tuas necessidades;
Nem mais, nem menos, mas o justo para as tuas lutas terrenas.

Teu ambiente de trabalho é o que elegeste espontaneamente para a tua realização.

Teus parentes e amigos são as almas que atraíste, com tua própria afinidade.
Portanto, teu destino está constantemente sob teu controle.

Tu escolhes, recolhes, eleges, atrais, buscas, expulsas, modificas tudo aquilo que te rodeia a existência.
Teus pensamentos e vontade são a chave de teus atos e atitudes.

São as fontes de atração e repulsão na tua jornada vivência.
Não reclames nem te faças de vítima.
Antes de tudo, analisa e observa.
A mudança está em tuas mãos.Reprograma tua meta, busca o bem e viverás melhor.

Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo,
Qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim.”

Chico Xavier

A mulher perfeita

Dentro do que podemos chamar de “perfeito” nesse mundo (ou seja, o que seria mais próximo disso), pego emprestado este texto formidável redigido por Arnaldo Jabor. Obrigado Arnaldo.

"É melhor você ter uma mulher engraçada do que linda, que sempre te acompanha nas festas, adora uma cerveja, gosta de futebol, prefere andar de chinelo e vestidinho, ou então calça jeans desbotada e camiseta básica, faz academia quando dá, come carne, é simpática, não liga pra grana, só quer uma vida tranqüila e saudável, é desencanada e adora dar risada.
Do que ter uma mulher perfeitinha, que não curte nada, se veste feito um manequim de vitrine, nunca toma porre e só sabe contar até quinze, que é até onde chega a sequência de bíceps e tríceps.
Legal mesmo é mulher de verdade. E daí se ela tem celulite?
O senso de humor compensa. Pode ter uns quilinhos a mais, mas é uma ótima companheira. Pode até ser meio mal educada quando você larga a cueca no meio da sala, mas e daí?
Porque celulite, gordurinhas e desorganização têm solução.
Mas ainda não criaram um remédio pra FUTILIDADE!!"

Compatibilidade

Entre um gole e outro, um punhado de amendoim. Não é assim que aqueles caras “tiozão cinquentão” fazem? Chegam em casa, afrouxam a gravata, jogam o paletó e a maleta de trabalho longe, se sentam no sofá e colocam uma dose de Whisky no copo. Alguns também colocariam uma boa música para tocar, imagino.

Bom, agora você deve estar se perguntando, pq essa viagem toda? Na verdade, era mais ou menos assim que eu imaginava que seria quando atingisse essa idade, mas a ideia saiu rapidinho da minha cabeça.

Não que eu já estivesse nessa etapa da vida, mas por um instante o pensamento surgiu na cabeça, assim, do nada. só por causa de uma caipirinha…

Essa noite fui visitar um lugar especial… um barzinho onde aconteceu parte das coisas importantes e legais da vida, daquelas que a gente nunca esquece. Pedi uma “Caipirinha Clássica”. Enquanto ela não chegava, ocorreu a “viagem” descrita logo acima. Só que (imagine aqueles desenhos animados em que aquela nuvem de pensamento, tão serena e feliz se desfaz como se alguém a estourasse com a ponta de um alfinete) ao tomar o primeiro gole (o que devia dar algo em torno de 3ml) constatei, ao tremer com aquele arrepio instantâneo que desce pela nuca eriçando os pelos do corpo todo, que aquilo definitivamente não era pra mim… Meu.. me senti tomando um vidro de “Zulu” … na hora esquentou tudo, então imagine… o negócio descendo quente pela garganta, o calor natural desse dia + as fritas que eu havia pedido também… Já viu, né… Enfim… acabei com tudo chamando o garçom e pedindo uma Coca (um pouco tarde demais, uma vez que eu já estava com dificuldades de acertar a pontaria com as batatas…)

Embora houvesse um ligeiro “lag” nos meus reflexos, como todo bêbado, consegui chegar em casa, afinal temos GPS e anjo da guarda integrados! rs

Foi bom, mas não sei se quero de novo. O Windows aqui já indicou uma incompatibilidade do “software” com o “sistema operacional”. Melhor ficar só com o amendoim mesmo…

P.S. Ainda estava sob os efeitos do álcool quando escrevi este post, então desconsidere se tiver cometido alguma gafe =]

PR

Entradas Mais Antigas Anteriores